Rebaixamento da nota de crédito do Brasil afeta mercado segurador

O Sincor-SP divulgou a edição de setembro da Carta de Conjuntura do Setor de Seguros, documento que avalia mensalmente o setores de seguros, resseguros e capitalização. O documento mostra que, em comparação com o mês de agosto, em termos econômicos, novamente houve uma piora na situação brasileira, com o rebaixamento da nota de risco do País e queda nas principais previsões. No mesmo período de 2014, por exemplo, a previsão média indicava que o Produto Interno Bruto (PIB) cresceria 1,1% em 2015. Um ano depois, a previsão é de uma queda de 2,2%.

Previsões médias – comparativo – final de agosto

tabela 1

A Carta avalia ainda que a mudança de cenário trouxe consequências diretas para o setor de seguros no Brasil. Tudo indica que o segmento das operações específicas de seguros e saúde terá uma variação nominal de 10% em 2015. Ou seja, número praticamente idêntico às taxas inflacionárias desse período, sem nenhum ganho real, como vinha ocorrendo nos últimos anos.

Estimativas para 2015 – valores em R$ bilhões

tabela 2

No entanto, a estimativa de variação do setor já está se mantendo nos últimos dois meses e não está caindo mais. Há ainda outros pontos positivos: em destaque, a rentabilidade das seguradoras, beneficiada, entre outros fatores, pela trajetória mais elevada da taxa de juros.

No curto prazo, porém, a análise final continua a mesma. Para enfrentar esse momento mais delicado, é preciso dedicação e muita determinação de todos os profissionais envolvidos com essa indústria.

L.S.

Revista Apólice


« Voltar para home | Ver todas as notícias »